sexta-feira, 1 de maio de 2009

F1: 15 anos, sem o mestre...


...15 anos, que Ayrton Senna nos deixou...

Hoje curiosamente é um feriado, claro, feriado do Dia do Trabalho, mas para muitos virou um feriado para Ayrton Senna, não claro uma homenagem a sua morte, 15 anos atras, pois homenagear morte, só fazemos de quem não presta, mas sim, é uma data pra lembrar dele, de suas façanhas, de suas vitórias, de suas manobras arrojadas na pista, de suas poles, de seu carisma, de suas mensagens de incentivo e força de vontade que sempre fazia questão de passar aos seus fãs, enfim, dia de lembrar do Senna...

Eu escrevi, no dia que completavam 10 anos daquele fatídico domingo, um texto na epoca para meu Fotolog e acabei postando aqui no blog tambem, porem como o post foi embora nos antigos arquivos do blog, quando removi tudo que havia antes da reativação dele a pouco mais de um ano, precisaria postar novamente isso...

...não estranhem o estilo de escrita que eu tinha epoca, o na epoca famoso "sim e não", pois eu sempre tive vontade de voltar a usa-lo, mas nunca lembro ou nunca acho uma oportunidade, quem sabe reviva isso, era engraçado e muitos gostavam...

Sim, hoje deu saudade...

Sim, 10 anos depois, ver o GP de San Marino de F1 hoje, foi como ver aquela mesma corrida de quase exatos 10 anos atrás (10 anos mesmo, só no Sábado que vem), onde perderíamos o nosso ídolo...
Sim, lembro, com muitos detalhes, aquela corrida, aquele dia...

Sim, foi um dia que me marcou profundamente, tinha 14 anos, e estava vendo a corrida no sofá, no canto esquerdo como eu gostava, mas perto da varanda, meu pai à minha esquerda na cadeira de balanço e minha mãe, numa cadeira à direira do sofá que eu estava...

Sim, ainda estávamos com uma TV de 14" na sala, não tinhamos ainda a de 29", mas nela, deu pra ver bem, ainda com a lembrança daquele acidente sério de Rubinho nos treinos de Sexta, da batida fatal de Roland Ratzenberger no Sábado e um acidente sério no começo da prova na cabeça, mas ninguem acreditava, ver aquele carro azul e branco, ir com aquela violência no muro e que aquele carro, era uma Williams, era a Williams de Senna...

Sim, nesse instante, lembro que tanto eu como meu pai, nos supreendemos com a violência da batida (minha mãe tava na cozinha), por um instante, ficamos putos, pois era mais uma corrida que Senna não completaria... Mas algo fez, tanto eu, como todo o Brasil, todo o mundo, se calar e ficar com medo... Senna não se mechia... Por um instante vimos ele balançar a cabeça, o que nos fez ficar por alguns segundos, relaxados, pra depois, ficarmos nervosos de novo... longos 1 minuto e 20 segundos, pra chegar o resgate, mais nenhum movimento de Senna... o país com certeza, parou e ficou mudo, ninguem conseguiria pensar, que o pior estaria acontecendo...

Sim, o socorro chega ao carro, completamente despedaçado, quase não sobrou nada, só o motor, pouca lataria e duas rodas... com todo cuidado, tiram Senna do carro, que não se mechia... aí o drama aumentou, pois o socorro demorava muito, os carros já passavam por ali pela 3ª vez seguindo o Safity Car, um turbilhão de fiscais e médicos cercavam Senna, quando uma imagem, que me chocou muito e junto toda uma nação mundial fã de Senna, aparece na televisão, uma imensa mancha de sangue... então pensei, mesmo sem acreditar... o pior está acontecendo...

Sim, na F1, existem 3 procedimentos de socorro em acidentes, o primeiro, mais usual, fiscais chegam no carro acidentado, tiram o piloto e o levam aos boxes, o segundo, uma ambulância é levada ao local para socorro, levando o piloto pro hospital do circuito, o terceiro, o piloto é levado num helicoptero ao hospital mais proximo do circuito, ja designado, pra casos mais graves... quando vi o procedimento 3 sendo executado, eu fiquei mudo... meu pai, que já tinha caido em sí, se segurava pra não chorar...

Sim, a corrida proseguiu, mas eu estava tão chocado, que ela passou e nem percebi... lembro que Schumacher venceu a prova e tanto ele, quanto o segundo e terceiro lugares, não comemoraram, esperaram os hinos acabarem, pegaram os troféus e sairam... os boletins começaram a aparecer, eu me isolava no quarto no intervalo deles, pedia a Deus, pra aquilo ser mentira e que Senna ficasse bem, a cada boletim, o seu estado só piorava, foi quando o reportér da Globo Leo Batista, falou: "O coração de Ayrton Senna, parou de bater", eu gelei... metade de mim caiu em si e viu que era verdade, a outra insistia que era mentira...

Sim, lembro que na epoca, eu tinha um jogo no meu 386, o GPU, jogo de F1, que você podia fazer o calendario, aí eu fazia ele de acordo com o atual da F1, e todo Domingo de noite, que tinha corrida, eu corria na pista correspondente, mas naquele dia não, eu me tranquei no quarto, fui pro DOS (Sim, naquela época, Windows não era tão usado assim, além deu gostar mais do DOS do que dele, era mais rapido), limpei a tela e simplismente, escrevi...

C:\>Ayrton Senna morreu.

Sim, olhei pra aquilo com atenção, aí nesse instante, a outra metade também caiu em si, e comecei a chorar compulsivelmente... botei um Pink Floyd no radio, bem alto, o Momentary Lapse of Reason, que gostava de escutar, quando estava mal, no ultimo volume...

Sim, fui mesmo assim, pra aula no outro dia, mas o Vera Cruz estava simplismente vazio, muitos com camisas pretas embaixo do uniforme, mensagens de saudade e carinho pra Senna no quadro, até os professores não estavam num clima bom, alias, o clima na aula, foi um dos piores que já senti na minha vida...

Sim, hoje, 10 anos depois, antes da corrida, vejo imagens de Gerhard Berger dando uma volta com a Lotus 1986 que era de Senna (Sim, porque a porra da Globo não mostrou tudo, só um pedacinho), e lembrei, putz, como Senna faz falta, como ele era querido...

Sim, até hoje, sinto o mesmo daquela época, sou eterno fã de Senna, onde eu vou, levo o "S" dele, meu Gol tinha ele, o Carrapato tinha e o Palio novo agora, tambem tem, até meu gabinete tem um "S" do Senna, sempre serei fã desse grande brasileiro, um dos maiores exemplos de ser humano que já vi na minha vida...

Em vida, insuperável...
Em morte, inesquecível...

"AYRTON, AYRTON, AYYYYYYYYYRTON SEEEEENNA DO BRASIIIIIIIIIL!!!!"

...claro, onde vocês lerem "10 anos", entendam hoje 15 anos, resolvi manter isso no texto, pois ele tinha um significado especial quando faziam 10 anos, não é a mesma coisa quando se completam 15, a primeira decada de algo marcante é sempre mais especial...

Nossa, esse dia seguinte no colégio foi uma das coisas mais sombrias que ja vi na minha vida, um clima de morte por todo o colégio, e olhe que esse Vera Cruz é muito grande, acredito que nem 1/3 dos alunos foi pra aula, vi varios com camisas pretas embaixo do uniforme mesmo, voce não via um sorriso, uma brincadeira, nada, clima de enterro total e levou uns dias ainda, pra que o colégio voltasse ao normal, creio que durante toda a semana, foi um clima meio pesado, mas na segunda foi absurdo...

Eu ja disse isso aqui, acho que disse, mas sempre direi, Senna foi o melhor da história, o maior piloto da F1 em toda sua história, não teve Fangio, não teve Gilles Villeneuve, não teve Prost, não teve Schumacher, não teve Alonso, não teve ninguem, NINGUEM que chegou perto dele, ninguem o superou e ninguem acredito o vao superar...

...nisso entra a eterna guerra entre Schumacher e Senna, porem quem sabe acompanhar a F1 analizando tudo, sabe porque o alemão conquistou tudo com tanta facilidade e porque Senna ainda assim, foi o maior...

Diria mais, Senna caso não tivesse morrido e nem ficado com sequelas, teria seguido na F1 ainda por uns anos, todos que converso, concordam comigo, que ele teria parado ali por 1997, ainda pela Williams acredito eu...

...embora haveria sim o convite a ele pra correr na Ferrari ja em 1995, Jean Todt confirmou isso anos depois, e evidentemente, o convite foi repassado pra Schumacher, que foi pra la somente em 1996, mas acho que ele ficaria na Williams sim, pois era o melhor carro e era isso que interessava a ele...

Senna certamente, teria sido campeão em 1994, ja que Hill que não era nada perto dele quase o foi, não foi, por aquela manobra estupida de Schumacher na ultima corrida, 1995 não sei, acho que perderia pra Schumacher, pois o alemão andou demais naquele ano, mas Senna seria campeão novamente em 1996 e 1997, ja que Schumacher ja sofria naquela ainda fraca Ferrari e a Williams era demais ainda, tanto que Hill e Villeneuve foram campeões, e sem menospreza-los, se eles foram, Senna certamente seria tambem...

...ou seja, sairia da F1, com 37 anos, ao inves de morrer aos 34, Hexa-Campeão, certamente recordista soberano de poles e um dos com mais vitórias...

...porem Schumacher seria assim mesmo Hexa tambem posteriormente...

Enfim, é um dia hoje estranho, sombrio, um feriado que voce não ve muito o povo comemorando, é um dia negro pro brasileiro, nem que ele não lembre o porque, nem precisa lembrar de Senna, da morte dele, por instinto, é um dia negro, de realmente luto...

...e ele deve ta por ai, dizem que correndo nos autódromos do outro mundo, ganhando de todo mundo como sempre, pois aquele la, mesmo depois de morto, não vive sem velocidade...

...esse deixa saudades, esse foi o melhor, é o melhor, sempre será o melhor, sempre será o Senna...

Um comentário:

  1. Tenho que dizer que quase choro lendo o que tu escreveu, pois lembrar tudo como ocorreu, bate uma saudade enormeeeeeee. Estranho como uma pessoa que vc nunca esteve perto ou conviveu diretamente, consegue fazer uma falta imensa.

    Bruno Soares
    15 anos sem Ayrton Senna.

    ResponderExcluir

Blog produzido por: Thiers - Recife - PE - Brasil - 2014